Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ELE DIZ

Gadgets, Internet e Media! Humor Q.B.

ELE DIZ

Gadgets, Internet e Media! Humor Q.B.

Esprememos um bocadinho... e nada!

Adoro pessoas super diferentes, que são únicas e que têm visões do mundo completamente diferentes, e que são especiais e exigentes e não sei mais quantas coisas, e depois vamos a ver com toda essa auto-publicidade de desviantes e os seus blogues não têm comentários menos positivos e é tudo amizades e não sei mais o quê...
É impressão minha, ou pessoas desalinhadas deveriam chocar por completo as mentalidades dos outros?
Estou farto de viver num mundo em que toda a gente se diz diferente, mas quando esprememos um bocadinho, o sumo que sai é sempre o mesmo!

Geração Iogurtes Agros

http://www.lactogal.pt/Lactogal/PresentationLayer/Resources/Users/Images/agros_on.jpg Não tenho duvida alguma, que a melhor geração do nosso país, é aquela que quando em criança, a grande e quase única marca de iogurtes que conhecia era a Agros! Depois desta geração apenas começou a nascer lixo humano.

Ainda procurei na net, mas não encontro nenhuma imagem dessa nobre iguaria que o tempo já fez esquecer nas prateleiras, mas não em muitas das mais iluminadas mentes, deste nosso Portugal.

Reflexão

Sou só eu a achar, que o governo cortou pouco nos funcionários públicos e que deveria era ser cortado, todo o 13º mês e que o salário mínimo, deveria ser a base de todos os ordenados dos funcionários públicos, sendo que partindo deste patamar, apenas seria mais elevado tendo em conta a produtividade dos mesmos?

Linha condutora

Porque um blogue não é, para mim, uma parede onde colamos tudo preto no branco aquilo que pensamos, surge por vezes a necessidade de ir escrevendo um blogue paralelo, feito apenas de posts que ficam guardados como rascunho e que ao longo do tempo vão sendo largados completamente fora do contexto, para assim quebrar a continuidade de uma linha que poderia ser demasiado condutora.
Porque uma vida demasiado recta faz confusão, e porque uma linha demasiado curva, sem norte nem rumo me aterroriza, fico-me por uma vida cheia de curvas planificadas, onde a minha vontade é o co-piloto e me diz onde e quando virar. Tirando acidentes de percurso, de animais que se atravessam no meio do caminho e que apenas respondem com a irracionalidade que os caracteriza e como tal imprevisíveis por natureza.

Pág. 3/3